Juventude |
LabOratório reúne 75 jovens na Paróquia do Parque das Nações, em Lisboa
Rezar, criar, ensaiar, cantar, tocar e gravar nova música para a liturgia
<<
1/
>>
Imagem

75 jovens de várias partes do país participaram no LabOratório, de 4 a 12 de setembro, numa semana inteira dedicada a rezar, criar, ensaiar, cantar, tocar e gravar nova música para a liturgia. Para muitos de nós, esta foi a melhor maneira de começar este ano.

Esta foi a terceira vez que este encontro aconteceu, a convite da pastoral juvenil jesuíta, com participantes de muitas paróquias e contextos eclesiais, quer na organização quer nas atividades da semana. Para mim, que tinha acompanhado, embora ao longe, com muita admiração, as outras edições e todo o trabalho feito, foi uma alegria poder participar e juntar-me ao grupo de vozes entusiasmadas e frescas com um mesmo objetivo: participar melhor na liturgia, encontrar modos de expressar a Fé e experimentar com uma comunidade de amigos a celebração diária da vida cristã, numa espécie de mosteiro improvisado. Nas palavras de um dos coordenadores, o padre jesuíta Rui Fernandes, o LabOratório “resume-se a uma experiência de comunidade em que pessoas diferentes se juntam para rezar e tentar inventar sons para dizer aquilo que às vezes só a música pode dizer.”

A Paróquia do Parque das Nações, em Lisboa, foi a grande anfitriã, oferecendo os espaços necessários para que, em pandemia tudo decorresse com a maior normalidade, mas foi também a grande cobaia, já que a nossa presença alterou bastante os ritmos da comunidade.

A primeira grande alteração foi a ocupação dos espaços, e a constante cantoria pelos corredores. No plano litúrgico, pelo carácter experimental desta semana, foi concedido que se celebrassem, durante uma única semana, missas de todos os tempos litúrgicos, o que permitiu que vivêssemos espiritual e musicalmente os vários mistérios cristãos.

Deste modo, o repertório cantado nas missas diárias, foi sempre diferente e muito variado. Só nesta edição do LabOratório foram cantadas cerca de 80 composições, de um total de 110 em estreia absoluta, que virão a ser publicadas, o que significa um enorme contributo para as celebrações da Igreja, em particular aquelas em que se reúne maior número de jovens.

Conforme explicou o padre Rui Fernandes, jesuíta, no concerto-oração final, este trabalho foi possível com a generosidade de mais de 50 compositores portugueses. Estes compositores são marcados por “diferentes estilos musicais, alguns enchem salas de concerto em Portugal, outros (…) estão agora a começar. Uns escrevem para orquestra, outros escrevem para guitarras, para tocar em garagens com amigos, porque, de facto, isso também é o que povoa estas nossas comunidades.”

Quem vive a sua Fé no mundo de hoje vai intuindo que a expressão espiritual se encontra em vários estilos, pois embora o canto gregoriano seja a forma de expressão musical primordial para a igreja, na música e noutras artes, a Igreja sempre se procurou expressar de forma contemporânea, com a linguagem própria de cada época.

E é a partir daí que o LabOratório tenta dar uma resposta a esta pergunta: “como é que se pode fazer música com qualidade, olhar a bons textos, olhar à liturgia (como é que nós celebramos) para que diferentes pessoas possam ter verbo, gramática, música para comunicar com Deus em comunidade?”

Esta resposta é procurada através de um convite, oração, muito trabalho de preparação, professores dedicados e formação. Os ateliês práticos de canto, orquestra, coro, composição, escrita e edição, os ateliês sobre liturgia, os vários estilos musicais representados (gregoriano, gospel, jazz, indie, pop e música tradicional) e os diálogos sobre música e espiritualidade, acontecem em ambiente descontraído, e oferecem um “chão comum”, a partir do qual a tal música pode florescer com mais solidez.

Nesta semana onde pudemos cantar, por exemplo, música ortodoxa, pop, gregoriano, gospel, canto alentejano e as sonoridades que conhecemos da tradição coral litúrgica, a grande alegria foi ver como todos estes estilos podem ser abraçados com o mesmo entusiasmo. Se, por um lado, nas nossas paróquias é difícil cantar bem o repertório coral que já existe e se vai caindo num certo facilitismo, aqui, encontrámos um grupo jovem com níveis muito variados de formação musical, capaz de enfrentar, com sucesso, cânticos a 6 vozes que nunca tinham sido ouvidos ou reproduzidos.

Voltando às palavras do padre Rui Fernandes, o LabOratório “nasceu com o desejo de contribuir com esta missão da Igreja, que em Portugal, felizmente, já vai tendo muitos espaços felizes de trabalho, de produção de nova música (…) É uma tentativa de dar a conhecer, sobretudo a públicos normalmente mais jovens, o que já se vai fazendo, mas também de desafiar novas gerações a criar nova música a partir de uma experiência de oração.”

Entre as várias experiências que existem, o LabOratório é, de facto, uma luz, que mostra que é possível juntar jovens de muitos lugares para fazer música litúrgica, que não existe só um estilo para as missas com jovens e que é possível crescer como coros, ao serviço nas nossas paróquias, mesmo sem sermos todos músicos. Há duas características que contribuem para isso: cantamos todas as semanas, e não cantamos para entreter, a nossa voz levanta-se para agradecer, pedir e louvar a Deus.

Estejam atentos, alguns dos jovens músicos das nossas paróquias participaram no LabOratório ou já receberam o entusiasmo que dali partiu. Se ainda não aconteceu, apresentem-lhes este projecto e outros que já vêm trabalhando há muito tempo. Deixo abaixo os links para os encontrarem! 


_________________

 

Aleluia!
Louvai o Senhor, porque é bom cantar! (Sl 147)

 

LabOratório: https://pontosj.pt/laboratorio/

(Áudios: https://soundcloud.com/laboratorio-jesuitas)

Escola Diocesana de Música Sacra: https://www.edms-lisboa.pt/

Musicristo: https://www.musicristo.pt/

O Canto na Liturgia: https://ocantonaliturgia.pt/

Musica Sacra in Portugalia: https://www.youtube.com/channel/UCiI8hBJPkGBk0ZlKehakSzw

Missa Jovem: https://www.youtube.com/watch?v=xuv5uhXhAT8&list=PLYeR8SId4-h61bI5CNi-cLHG3hadetADI

Coro de São Jerónimo: https://www.corosaojeronimo.com/repertorio

texto por Hugo Casanova; fotos por João Matos
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
1. Em setembro de 2008, cerca de 800 pessoas de todas as Dioceses de Portugal participaram em Fátima...
ver [+]

José Luís Nunes Martins
A vida é feita de inúmeras perdas. Todos os dias o nosso caminho segue enquanto há algo que temos de deixar para trás.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES