Especiais |
Principais acontecimentos eclesiais
O ano de 2017 em balanço
<<
1/
>>
Imagem

A 1 de JANEIRO, os Jovens do ‘Eu Acredito’ celebraram, com o Cardeal-Patriarca, D. Manuel Clemente, o Dia Mundial da Paz, nos Jerónimos, na presença da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima. Este primeiro mês do ano 2017, no Patriarcado de Lisboa, ficou ainda marcado pelo início da Visita Pastoral às 16 paróquias da Vigararia de Mafra – com o Cardeal-Patriarca a anunciar três anos de receção sinodal na diocese –, pela segunda temporada, no Teatro Tivoli BBVA, do ‘Partimos. Vamos. Somos. O musical dos 300 anos do Patriarcado’ e pela criação de seis novos cónegos. Dia 7, falecia Daniel Serrão, membro honorário da Academia Pontifícia para a Vida, da Santa Sé. De Roma, a 2 de janeiro, o Papa escrevia uma carta aos bispos, convidando-os a lutar pelos direitos das crianças e a reforçar a “tolerância zero” nos casos de abusos sexuais. Francisco escreveu também, dia 13, aos jovens de todo o mundo, sobre o Sínodo dos Bispos de 2018, desafiando-os a agir.

 

FEVEREIRO ficou marcado pela realização, na Igreja de São Tomás de Aquino, no dia 5, do I Encontro de Coros Infanto-Juvenis da Diocese de Lisboa, que reuniu 225 crianças e adolescentes, de 17 coros. Na reunião de vigários, o Cardeal-Patriarca falou sobre a receção da Constituição Sinodal de Lisboa, onde “no número 70 convergem «alguns caminhos de renovação eclesial especificados nas seguintes opções: santidade, missão, comunidade, iniciação cristã, família, vocação e sinodalidade»”. Dia 18, em Torres Vedras, aconteceu a 2ª Jornada Diocesana da Comunicação, com D. Manuel Clemente a inaugurar a sua conta pessoal na rede social Twitter (www.twitter.com/patriarcalisboa). Neste segundo mês do ano, a Universidade Católica Portuguesa celebrou 50 anos e Portugal recebia o 1º Fórum Wahou!, sobre a Teologia do Corpo. Numa ‘Nova Carta dos Agentes de Saúde’, por ocasião do Dia Mundial do Doente (11 de fevereiro), o Vaticano reafirmou as orientações contra a eutanásia.

 

Na Mensagem para a Quaresma, publicada a 1 de MARÇO, o Cardeal-Patriarca anunciava que o destino da renúncia quaresmal seriam as obras no Seminário dos Olivais. Neste terceiro mês do ano, a Basílica de Mafra recebia o encerramento da Visita Pastoral à Vigararia de Mafra, a Assembleia Diocesana de Catequistas reunia 800 agentes desta pastoral, o Turismo do Patriarcado de Lisboa lançava o + Quo Vadis (que compreende um site, uma app e desdobráveis) e a Cáritas Diocesana de Lisboa apresentava o relatório trienal de atividades, com D. Manuel Clemente a garantir que as contas da instituição “estão auditadas e bem auditadas”. A 14 de março, falecia, com 83 anos, o padre Henrique Scheepens, da Congregação dos Sagrados Corações, que chegou ao Patriarcado em 1974 e cumpriu a sua missão ao serviço dos pobres. Neste mês em que a Renascença fazia 80 anos, nascia o ACEGE NEXT, um projeto que pretende motivar os jovens profissionais a viverem o cristianismo no mundo do trabalho.

 

Dia 20 de ABRIL, o Vaticano anunciava a canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco Marto a 13 de maio, em Fátima. Uma notícia recebida “com muita alegria” pelo Cardeal-Patriarca. Antes, no dia 2, a Jornada Diocesana da Juventude, em Odivelas, recebia mais de mil jovens e o selecionador nacional de futebol, Fernando Santos, e, nas celebrações da Páscoa na Sé, o Cardeal-Patriarca convidava os cristãos a serem “sinal” do corpo de Cristo “verdadeiramente ressuscitado”. No mês em que faleceu o padre Carreira das Neves, D. Manuel Clemente foi reeleito presidente da Conferência Episcopal e, no discurso de abertura da Assembleia Plenária do organismo, dizia acreditar que a visita do Papa a Fátima iria trazer uma mensagem de esperança. Em Barcelona, a Conferência Episcopal apresentava, num simpósio do Conselho das Conferências Episcopais da Europa, o projeto ‘Missão País’ como “exemplo” a ser seguido. O Papa Francisco, que visitou o Egipto nos dias 28 e 29 de abril como “sinal de paz”, inaugurou em Roma uma lavandaria para os sem-abrigo.

 

Em MAIO, Portugal recebeu a visita do Papa Francisco, para a celebração do Centenário das Aparições e a canonização dos pastorinhos, nos dias 12 e 13, em Fátima. “Queridos peregrinos, temos Mãe, temos Mãe!”, garantia o Papa. Também neste mês, o Patriarcado de Lisboa acolheu a Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência, que ficou em missão junto dos mais pobres e marginalizados na Paróquia de Algueirão, organizou, em Alcobaça, a Festa Diocesana da Família e a 35ª Bênção de Finalistas Universitários. O Museu Nacional de Arte Antiga inaugurava a exposição ‘Madonna – Tesouros dos Museus do Vaticano’, o Colégio Universitário Pio XII celebrou os 60 anos e os bispos portugueses publicavam a Carta Pastoral ‘Catequese: A alegria do encontro com Jesus Cristo’. Em Roma, o Papa recebia o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a quem recordou a importância da paz.

 

As ‘Cartas Pastorais dos Patriarcas de Lisboa’ e os ‘Subsídios para a história da Igreja em Portugal’ foram apresentados a 7 de JUNHO, e são duas “obras fundamentais” para os 300 anos da qualificação patriarcal, segundo D. Manuel Clemente, que saudou ainda, neste mês, os 150 anos dos Espiritanos em Portugal. O Cardeal-Patriarca foi o enviado do Papa Francisco ao I Congresso Eucarístico Nacional de Angola, no Huambo, tendo sido, por isso, D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar, a presidir ao Corpo de Deus. A 22 de junho, foi inaugurada, no Largo Trindade Coelho, em Lisboa, uma estátua do padre António Vieira e, dia 29, D. Manuel Clemente, na introdução ao Programa e Calendário Diocesano 2017-2018, apelava à “dedicação pastoral” para a “receção e cumprimento” da Constituição Sinodal de Lisboa. O Papa rezou pelas vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, que fez mais de 60 mortos, instituiu cinco novos cardeais e celebrou, dia 27 de junho, 25 anos de ordenação episcopal.

 

Aos cinco novos padres e quatro diáconos permanentes, ordenados dia 2 de JULHO, nos Jerónimos, D. Manuel Clemente convidou-os a configurar o seu ministério a partir da cruz de Cristo. Este dia, no Patriarcado, ficou também marcado pela Profissão Religiosa de Votos Simples na Ordem de Santa Clara de Assis (Clarissas) da irmã Rita Maria de Assis, de 24 anos. Ainda neste mês, as Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC) iniciavam um ano jubilar que pretende reavivar a memória de Maria Clara do Menino Jesus, religiosa nascida e beatificada em Lisboa, e chegava a Portugal a Bíblia Jovem YOUCAT, com prefácio do Papa Francisco, que desafiou os jovens a lerem a Bíblia “com frequência”.

 

Desde o dia 1 de AGOSTO que a Quinta do Bom Pastor, na Estrada da Buraca, em Benfica, Lisboa, acolhe a nova sede da Conferência Episcopal Portuguesa e os serviços nacionais da Igreja Católica em Portugal – Comissões Episcopais e secretariados dos vários sectores da pastoral. Os escuteiros estiveram reunidos no ACANAC (Acampamento Nacional), que foi visitado pelo Cardeal-Patriarca e pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Neste mês tradicional de férias, Portugal recebeu o presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, D. Rino Fisichella, que, em Fátima, na peregrinação do Migrante e do Refugiado, recordou os cristãos que são forçados a fugir por causa da fé. O Papa Francisco deixou uma interpelação aos jovens: “Não deem ouvidos aos velhos de coração!”.

 

O Cardeal-Patriarca escreveu uma carta aos diocesanos de Lisboa, no dia 1 de SETEMBRO, lembrando o tema para o novo ano pastoral: ‘Fazer da Palavra de Deus o lugar onde nasce a fé’. Neste mês, a Igreja em Portugal viu partir o Bispo do Porto, D. António Francisco dos Santos, que morreu na manhã do dia 11 de setembro, e D. Manuel Martins, Bispo emérito de Setúbal falecido dia 24. Foi ainda inaugurada a Rotunda Padre Ricardo Neves, sacerdote de Lisboa falecido em 2015, aos 42 anos, o presidente da Conferência Episcopal, D. Manuel Clemente, participou na Assembleia Nacional do Renovamento Carismático Católico, que assinalou os 50 anos do movimento e os 40 anos de presença em Portugal, e mais de três mil jovens de todo o país estiveram no Jubileu dos Jovens, no Santuário de Fátima. Dia 6 de setembro, o Papa Francisco iniciou uma visita de cinco dias à Colômbia, que ficou marcada pela paz, pelo perdão e pela reconciliação.

 

Em OUTUBRO, as paróquias da cidade de Lisboa, mais concretamente da Vigararia Lisboa IV, começaram a receber a Visita Pastoral, com o Cardeal-Patriarca a valorizar o papel das famílias para a “dimensão missionária da Igreja”. D. José Traquina, então Bispo Auxiliar de Lisboa, foi nomeado Bispo de Santarém, pelo Papa, o movimento familiar Casais de Santa Maria, fundado em Lisboa, pelo cónego Serrazina, celebrou 60 anos, a Peregrinação Diocesana de Adolescentes a Fátima – ‘Say Yes’ reuniu cerca de 1200 participantes e faleciam o cónego Pires de Campos e o padre Henrique de Noronha Galvão. Por ocasião do 50º aniversário da instituição, a Universidade Católica foi recebida pelo Papa Francisco, a 26 de outubro, no Vaticano. Antes, dia 12, D. Nuno Brás, Bispo Auxiliar de Lisboa, apresentou o Relatório da Fundação AIS que denuncia “atrocidades inqualificáveis” sofridas pelas comunidades cristãs em muitos países do mundo. O Jornal VOZ DA VERDADE inaugurava o ‘Bible Challenge – O desafio da Bíblia’.

 

A 9 de NOVEMBRO, o Patriarcado de Lisboa despedia-se de D. José Traquina, antigo Bispo Auxiliar nomeado para Bispo de Santarém e cuja entrada solene decorreu dia 26. Neste mês, o Cabido da Sé viu ser nomeado um novo Deão, o cónego Francisco Tito, que substituiu o cónego Carlos Paes, e 93 instituições do Patriarcado criavam a Federação Solicitude. Na Conferência Episcopal, durante a 193ª Assembleia Plenária (13 a 16), os bispos decidiram iniciar uma reflexão sobre a preparação para o matrimónio. A obra ‘Portugal Católico - A beleza na diversidade’, com direção de José Eduardo Franco e José Carlos Seabra Pereira, e que traça uma “radiografia do catolicismo em Portugal na sua realidade dinâmica e multifacetada”, segundos os autores, foi apresentada dia 21 de novembro. Em Roma, o Papa iniciava neste mês um ciclo de catequeses sobre a Eucaristia, nas audiências gerais de quarta-feira, almoçava, dia 19, com 1500 pobres, na celebração do I Dia Mundial dos Pobres e, no final de novembro, Francisco esteve, de 27 a 30, em Myanmar.

 

Os Jerónimos acolheram, dia 3 de DEZEMBRO, as Ordenações. No dia 8, Solenidade da Imaculada Conceição, a Sé de Lisboa recebeu uma nova Imagem de Nossa Senhora de Fátima. Neste último mês do ano, a igreja do Convento da Luz completou 50 anos e a Fundação AIS, na comemoração dos 70 anos, lançou, em parceria com o Jornal VOZ DA VERDADE, o livro ‘A Cruz Escondida’. A igreja de Fátima, em Lisboa, acolheu na tarde do dia 17 de dezembro o encerramento da Visita Pastoral à Vigararia Lisboa IV. Nas celebrações de Natal na Sé Patriarcal, o Cardeal-Patriarca deixou um convite a experienciar Deus, enquanto na tradicional Mensagem de Natal lembrou que “cada idoso é uma experiência de vida e uma interpelação à convivência, que nos faz melhores, quando lhe correspondemos”. Em Roma, na Missa do Galo, o Papa lembrou o drama dos refugiados. No início do mês, dia 2, o Papa terminava a viagem ao Bangladesh, e dia 19 era anunciado que o Vaticano aprovou as “virtudes heróicas” da portuguesa Luiza Andaluz, fundadora das Servas de Nossa Senhora de Fátima.

por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
1. Em setembro de 2008, cerca de 800 pessoas de todas as Dioceses de Portugal participaram em Fátima...
ver [+]

José Luís Nunes Martins
A vida é feita de inúmeras perdas. Todos os dias o nosso caminho segue enquanto há algo que temos de deixar para trás.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES