Juventude |
Para animadores e responsáveis da pastoral dos jovens
Formação “Caminhar com os Jovens”
<<
1/
>>
Imagem

No passado dia 5 de março, o Serviço da Juventude organizou um dia de formação para animadores e responsáveis da pastoral dos jovens, na nova sede da JMJ 2023. Aderiram animadores, mas sobretudo membros do COP das mais variadas vigararias.

Na parte da manhã, como primeiro desafio e para darmos a conhecer um pouco de nós e da nossa realidade pastoral, partilhámos em grupos pequenos que pessoas tinham marcado a nossa caminhada como cristãos, como era a nossa experiência com os jovens da nossa paróquia e o que era preciso para fazer esse caminho com eles. A família, o pároco, consagrados, catequistas e animadores foram as respostas mais comuns que nos transmitiram o saber estar presente, saber ouvir, ser sempre jovem, mas também acolher, semear, desafiar e potenciar os jovens de que hoje somos responsáveis, como outrora foram connosco.

Numa parte mais formativa, o Padre Tiago Neto, que esteve sempre connosco ao longo do dia, falou-nos das várias etapas de um sínodo. Neste caso concreto, o documento preparatório de 2017, o documento trabalho de 2018, que culminaram na Exortação Apostólica “Cristo Vive” do Santo Padre, em 2019.

Para caminhar com os jovens é necessário “sair” para ir ao encontro, adaptando-nos aos tempos, “ver” com os olhos de Jesus, sempre disponível, e “chamar” para despertar o desejo de segui-Lo. Sempre acompanhados de discernimento. Além destes aspetos todos, o perfil do animador deve ser de um cristão fiel e envolvido, que busca sempre a santidade, através da escuta atenta, tendo consciência de si e dos seus limites, mas caminhando sempre com os jovens.

Depois da celebração da Eucaristia de sábado e do almoço, a tarde teve direito a vários testemunhos. A Dra. Sílvia, psicóloga católica, a Irmã Dina, serva de Nossa Senhora de Fátima, a Susana, assistente social, e três membros do Movimento Shalom complementaram muito bem o final da formação.

Se a manhã tinha sido focada no animador, a tarde focou-se nos jovens. A Dra. Sílvia partilhou connosco vários casos de jovens que foram ter com ela à procura de ajuda e que em todos eles, a psicologia, a filosofia e a teologia andam de mãos dadas. Desde a necessidade de um diretor espiritual ao ser um animador que conhece cada jovem pelo nome e consegue ser um exemplo vivo, sem medo de usar palavras mais complicadas.

A par com isto, a Irmã Dina continuou ao falar-nos da vocação com Deus sempre no centro. Um dos maiores desafios que temos são: “Se eu existo foi porque Ele quis”, “És amado e desejado por Ele” e “Se estás aqui é porque Deus tem um projeto para ti”, sem esquecer que Ele fez “maravilhas” em nós, recordando tudo o que de bom já nos aconteceu.

Com experiência profissional, pastoral e comunitária, a Susana alertou-nos para os contextos familiares de cada jovem serem muito importantes e não podem ser descartados, que é possível fazer missão em casa e que nós, animadores, somos o único Evangelho que 90% dos jovens fora da Igreja, vão ler. Complementando, o José, do Movimento Shalom, falou-nos das dificuldades em evangelizar os jovens, que procuram ser radicais, portanto temos de ter um testemunho perseverante e forte.

Confesso que não tinha muitas expectativas para esta formação, mas sentia que alguma coisa ia conseguir aprender. E só depois daquele dia passar e de escrever este artigo, percebi verdadeiramente que foi a vontade de Deus eu estar ali, porque Ele sabia que era mesmo disto que precisava para crescer ainda mais neste caminho com os jovens da minha paróquia, onde recebi ferramentas e dicas muito úteis para chegar mais perto, não fisicamente, mas espiritualmente daqueles que acompanho. Depois de ano e meio de pandemia, as dificuldades em cativar e motivar os jovens aumentaram e mais formações destas são necessárias, iguais a estas ou continuações.

texto por André Ribeiro, da paróquia de Massamá

 

_____________


DIA 23 de março, em Cascais

“Deixa a tua terra e segue-Me”. Este foi o lema que centenas de jovens de Cascais seguiram durante este mês. Fomos desafiados a desinstalarmo-nos, a sermos esta Igreja em saída, que se predispõe a ir ao encontro do outro, que ouve e confia na Palavra e partirmos, como Maria e Abraão, para a terra indicada por Deus. Durante este mês, a Cruz do COD de Lisboa foi este sinal que nos lembrou constantemente o caminho que somos, todos os dias, chamados a trilhar. Levantámo-nos e seguimos esta promessa, dizendo SIM! E agora ficamos com a marca profunda deste Amor, do encontro com Ele e com a esperança de chegar ainda mais longe e tocar os corações de mais pessoas, para que também elas abram os seus corações e as suas vidas a Jesus. Permanecemos unidos em oração, agradecendo pelas graças que proporcionou e pedindo ao Pai que a presença desta Cruz possa agora incendiar os corações dos jovens de Oeiras, e muitos outros, até 2023.

 

_____________


Cruz COD em Oeiras

Será já no próximo dia 23 que a Cruz do COD de Lisboa chegará à Vigararia de Oeiras e com ela virá também a oportunidade de chegar a quem não nos conhece, a quem não sabe quem somos nem o que nos move. Tentando abraçar todos os movimentos presentes na nossa Vigararia, distribuímos as atividade conjuntas por três grandes momentos: um encontro juvenil onde energia não irá faltar, uma Via Sacra Vicarial que contará com o envolvimento de todos os movimentos paroquiais e uma Jornada Ecuménica, onde tentamos chegar mais longe.

E o rei lhes responderá: “Saibam que todas as vezes que fizeram isso a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim que o fizeram”’(Mt 15, 40). Neste versículo, tão atual, queremos também manter vivo que o caminho para Deus e com Deus só se faz, se a nossa presença na vida do outro for a resposta para as suas necessidades, conhecendo-os verdadeiramente. E que altura melhor para fazer essa experiência que a da Páscoa? Cristo Ressuscitado conta convosco!

A OPINIÃO DE
José Luís Nunes Martins
Aquilo que somos depende do que fazemos com o que recebemos. A nossa primeira responsabilidade será...
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Dialogar, escutar, discernir: três atitudes a marcar o processo sinodal iniciado em outubro de 2021 com as fases diocesana e nacional.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES