Editorial |
P. Nuno Rosário Fernandes
Sabe o que é a JMJ Lisboa 2023?
<<
1/
>>
Imagem

O título deste editorial é provocador, mas quer responder, efetivamente, à pergunta. Depois do caminho de receção do Sínodo Diocesano, na nossa diocese, o plano pastoral proposto para estes próximos dois anos tem em vista caminhar em direção ao grande acontecimento que vai mobilizar em Lisboa, em 2023, milhares (ou milhões) de jovens, com o tema ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’. Aliás, no nosso país, a movimentação juvenil não espera e vai já acontecendo.

As dioceses estão organizadas com equipas diocesanas, denominadas COD, que estão em ligação com a organização central do evento (COL); as vigararias, que são um conjunto de paróquias de uma determinada área territorial de uma diocese, criaram as suas equipas de trabalho vicarial (COV) e estão em ligação com o COD; e as paróquias têm em ação as equipas locais (COP) que vão procurando dinamizar e sensibilizar as comunidades para este evento, em ligação com os COV e os COD. As siglas podem parecer estranhas, mas é desta forma que, na diocese e no país, já se vai fazendo acontecer a JMJ Lisboa 2023.

Depois de algum tempo presentes na Sé de Lisboa, devido à pandemia e ao confinamento, os símbolos da JMJ – a cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora do Pópulo –, oferecidos pelo Papa João Paulo II aos jovens para peregrinarem pelo mundo fora em preparação para as jornadas mundiais, já fizeram peregrinação em Angola, Espanha e, agora, Portugal. No nosso país, os símbolos iniciaram, em outubro, a peregrinação na Diocese do Algarve e chegaram, na passada semana, à Diocese de Beja. Na nossa diocese, desde o dia 23 de outubro, há também uma cruz, réplica do logotipo da jornada, enviada pelo COD de Lisboa, que está a percorrer as paróquias em peregrinação e tem procurado movimentar as comunidades. Depois da Vigararia de Alenquer, a cruz percorre, nesta altura, a Vigararia de Vila Franca de Xira-Azambuja e junta jovens, e não só, em momentos de oração.

Um pouco por todo o país, o colorido das t-shirts da jornada vai marcando presença em diversas atividades juvenis e o hino eleito para o efeito vai sendo cantado por vozes mais ou menos afinadas. Há trabalho de bastidores que vai sendo feito com vista à concretização dos dias de pré-jornada nas dioceses, vividos nos dias anteriores à JMJ, e os dias da jornada que a cidade de Lisboa vai receber.

A Jornada Mundial da Juventude, que tem data marcada para os dias 1 a 6 de agosto de 2023, já teve, assim, o seu início com o dinamismo que está a provocar e quer chegar a todos. Este será um grande evento, o maior, jamais realizado no nosso país, pelo número provável de jovens que serão esperados, mas deverá ser, sobretudo, a manifestação de uma Igreja viva, aberta e acolhedora.

 

Editorial, pelo P. Nuno Rosário Fernandes, diretor

p.nunorfernandes@patriarcado-lisboa.pt

A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
1. Em setembro de 2008, cerca de 800 pessoas de todas as Dioceses de Portugal participaram em Fátima...
ver [+]

José Luís Nunes Martins
A vida é feita de inúmeras perdas. Todos os dias o nosso caminho segue enquanto há algo que temos de deixar para trás.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES